Estudo de Confiabilidade

Em um sistema complexo, envolvendo diversos equipamentos diferentes, cada um com suas características de funcionamento, itens individuais podem falhar e o tempo para reparo pode variar em função de diversos fatores, e a interação entre os equipamentos afetam o sistema como um todo.

 

O Estudo de Confiabilidade tem como objetivo analisar e simular estas interações.

RBD - Reliability Block Diagram

Um RBD - Reliability Block Diagram mostra as interdependências entre todos os elementos de um sistema para que este tenha sucesso. O propósito deste diagrama é mostrar de maneira fácil e visual as combinações série/paralelo dos elementos que compõe o sistema.


Em se tratando de um processo de engenharia, como um processo industrial, o diagrama de blocos é elaborado a nível de equipamento, sendo que cada bloco representa um equipamento e suas interações e dependências com outros equipamentos.


Para compreensão do processo de engenharia a ser estudado devem ser analisados documentos de projeto e engenharia (mas não se limitando):

  • Fluxogramas de processo;

  • Folhas de dados de equipamentos;

  • Especificações Técnicas;

  • Memoriais Descritivos;

  • Critérios de projetos;

  • Levantamentos de campo.

 

O bom entendimento do processo e a fiel representação do processo no RBD é de essencial importância, pois todo o Estudo de Confiabilidade irá partir da análise e interpretação do diagrama.
 

Confiabilidade

A confiabilidade de um equipamento é a probabilidade deste executar adequadamente sua função por um determinado período de tempo e sob condições operacionais previstas. Em um sistema complexo, envolvendo diversos equipamentos diferentes, cada um com suas características de funcionamento, itens individuais podem falhar e o tempo para reparo pode variar em função de diversos fatores, e a interação entre os equipamentos afetam o sistema como um todo. O Estudo de Confiabilidade tem como objetivo analisar e simular estas interações.


Em um modelamento de falha bem definido, o resultado deste modelo não será o tempo (t) que o componente irá falhar, mas sim a probabilidade deste item falhar dentro de um determinado tempo.
Conforme dito anteriormente, confiabilidade é definida em termos de probabilidades, parâmetros probabilísticos como variáveis aleatórias, funções de densidade e funções de distribuição de probabilidades.

A partir dos dados analisados e tratados pode-se então realizar a parametrização das funções densidade de probabilidade de falha f(t) e probabilidade de reparo g(t). Esta parametrização pode ser realizada através de ferramentas computacionais que verificam a distribuição que apresenta o melhor ajuste para os dados disponíveis, com a minimização do erro quadrático e do P-Value para os testes de Chi-quadrado e Kolmogorov-Smirnov.


Ficou interessado? Entre em contato para mais informações.

© Dynamine Solutions

  • Black Facebook Icon
  • Black LinkedIn Icon