PIPE-FAPESP (Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas)

Sempre com foco em inovação, a Dynamine trabalha no desenvolvimento de novos sistemas e ferramentas para ajudar as empresas a operarem de maneira mais eficiente.

 

Fomos apoiados pelo PIPE-FAPESP, que tem como foco apoiar a execução de pesquisa científica e/ou tecnológica em empresas no Estado de São Paulo.

São objetivos do PIPE:
1. Apoiar a pesquisa em ciência e tecnologia como instrumento para promover a inovação tecnológica, promover o desenvolvimento empresarial e aumentar a competitividade das pequenas empresas.
2. Incrementar a contribuição da pesquisa para o desenvolvimento econômico e social.
3. Induzir o aumento do investimento privado em pesquisa tecnológica.
4. Possibilitar que as empresas se associem a pesquisadores do ambiente acadêmico em projetos de pesquisa visando à inovação tecnológica.
5. Contribuir para a formação e o desenvolvimento de núcleos de desenvolvimento tecnológico nas empresas e para o emprego de pesquisadores no mercado.


A seguir apresentamos os projetos apoiados.

Estudo de viabilidade de sensores de baixo custo e software supervisório para controle de produção em transportadores de correia (Processo 20/00979-0)

O setor mineral, apesar de ser responsável por cerca de 4% do PIB (Produto Interno Bruto) nacional, é carente de inovações e investimentos em novas tecnologias, sendo a situação dos agregados para construção civil (areia e brita) ainda mais crítica. Os agregados para construção civil (areia e brita) são bens de baixo valor unitário, uma vez que seu beneficiamento é simples (em sua maioria apenas etapas de britagem e/ou peneiramento). Sua extração é bastante fragmentada espacialmente, sendo mais de 90% das pedreiras e portos de areia de pequeno e médio porte. Contudo, no Brasil as produções de areia e brita ocupam o segundo e terceiro lugares no ranking de produção de bens minerais de acordo com os dados divulgados pelo Departamento Nacional de Produção Mineral - DNPM. Por se tratar de bens minerais de baixo valor unitário, os produtores de agregados estão suscetíveis a mudanças no mercado consumidor, necessitando constantemente de redução de custos e otimização da produção. Contudo, o foco do desenvolvimento de novas tecnologias das empresas conceituadas no setor mineral vem deixando os pequenos e médios produtores de lado, focando apenas nos grandes produtores. Dentro deste contexto, o objetivo do presente trabalho é realizar um estudo de viabilidade de um sistema completo de baixo custo composto por hardware e software para a coleta de dados e controle da produção de areia e brita, possibilitando o monitoramento remoto da produção e o controle de estoque dos produtos, resultando assim na otimização dos custos do empreendimento. Para tanto, a equipe envolvida pretende desenvolver medidores de fluxo de material para a coleta de informações como vazão volumétrica e mássica de material que passa pelo transportador de correia. Posteriormente, será desenvolvido um software para manipular e transmitir, em tempo real, os dados de produção para computadores e smartphones. O impacto positivo do software proposto é difícil de mensurar, uma vez que, atualmente, nas pedreiras e portos de areia não há um controle efetivo da produção (beneficiamento). Sendo assim, apenas a inserção de um mecanismo de controle de produção em tempo real com a criação de um banco de dados para o empreendimento já resulta em uma nova fase para o setor de agregados minerais como um todo. Adicionalmente, pode-se ressaltar que o controle em tempo real da produção permitirá a verificação do tempo ocioso dos equipamentos, a frequência de paradas para manutenção, o controle de estoque dos produtos gerados no empreendimento, a otimização do planejamento de vendas de acordo com as informações de estoque, entre outros benefícios. 

Sistema de controle de lavra, usina e manutenção para minerações de pequeno e médio porte (Processo 20/13593-3)

Enquanto as minerações de grande porte possuem capital financeiro e humano para investir em tecnologias de ponta para o monitoramento de seu processo produtivo, as empresas de pequeno e médio porte, que representam a grande maioria das empresas deste setor (95% no Brasil) ficam desamparadas. Embora estas empresas menores possuam a necessidade de aquisição de novas tecnologias, elas possuem dificuldades no investimento financeiro e humano em soluções deste tipo. Este projeto pretende desenvolver um sistema acessível para minerações de pequeno e médio porte, capaz de fornecer informações em tempo real sobre os equipamentos de lavra (caminhões, escavadeiras etc.), os equipamentos da usina (britadores, transportadores de correia etc.) e manutenção (consumíveis por km etc.). A precisão na localização do sensor dos equipamentos de lavra será comparada com um equipamento portátil de alta precisão de múltiplos GNSS (GPS, GLONASS e Galileo) e com a real posição georreferenciada. Serão testadas três situações. A primeira será fixa em área aberta, em condições boas de visualização dos satélites. A segunda será fixa na parte baixa de uma cava, local onde apresenta o maior desafio para coleta de informações precisas. A terceira será em movimento. A precisão da corrente do sensor dos equipamentos de usina será comparada com um equipamento portátil de alta precisão e com o medidor de corrente do equipamento. Serão testadas dez situações. As cinco primeiras serão com o equipamento em boas condições ligado sem material, com 25% da capacidade, com 50% da capacidade, com 75% da capacidade e com 100% da capacidade. As cinco últimas serão com o equipamento em más condições, por exemplo, se for testado num transportador de correia, será com alguns rolos travados. Os resultados esperados no final do PIPE Fase 1 são: 1 - Que os sensores dos equipamentos de lavra coletem as posições destes, envie para o servidor, que irá identificar se os equipamentos estão carregando, descarregando, transportando vazio e carregado, em fila e em manutenção; 2 - Que os sensores dos equipamentos da usina coletem a corrente, envie para o servidor, que irá identificar a quantidade de material presente no equipamento ou a probabilidade de falha. Com este sistema as minerações de menor porte, responsáveis pela maior parte dos materiais da construção civil, como areia e brita, poderão tomar decisões baseadas em informações, reduzindo os custos e aumentando a produtividade. O sistema irá melhorar o rendimento da mineração, que consequentemente fornecerá produtos com menor custo para a sociedade. Além disso, com o menor consumo de combustível e eletricidade, para cada tonelada de minério produzida e beneficiada deverá ser emitida menor quantidade de gases de efeito estufa.

Quer saber mais sobre Simulação Dinâmica? 

 

Clique aqui!

Quer saber mais sobre Estudo de Confiabilidade? 

 

Clique aqui!

Quer saber mais sobre Dimensionamento? 

 

Clique aqui!